segunda-feira, 30 de junho de 2014

(...)


Foi só quando eu te abracei naquela madrugada fria que eu senti:  a última peça do meu quebra-cabeça havia sido colocada no lugar. E então o mundo poderia ter acabado naquele exato momento e eu nem me importaria, porque a única coisa com que eu verdadeiramente me importava estava nos meus braços.




Um comentário:

  1. Poético, curtinho e tão profundo! Gostei demais. Deu pra sentir esse sentimento junto.
    Parabéns pelo blog. Linda escrita!

    Beijos.

    ResponderExcluir

Olá queridos! Não se esqueçam de deixar o link do seu blog para que eu posso lhe visitar também!
Obrigada por acessar o Identidade Aleatória!