quinta-feira, 31 de julho de 2014

Janelas

São grandes e pequenas. 
Iluminadas, escuras, acortinadas, tão cheias de seus problemas cotidianos nessa cidade tão grande.
Abajur infantil para inibir o monstro do armário.
Tv ligada para vigiar o sono que teima em não chegar.
Computador para passar o tempo.
Cada janela, um motivo.
Uma história diferente. Outra, história similar.
Bons ou maus personagens.
Do lado de fora não importa, você só vê a janela.


8 comentários:

  1. Cada janela, uma alma. Em cada alma várias janelas. Reflexivas e transparentes, guardam as imagens de mundos repletos em total inconsciência.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Do outro lado, mora o mundo.
    Eu o temo como temo a morte.
    Tive medo de olhar pela janela e não avancei...tive medo dos carros, das pessoas, dos ônibus, da rua, tive medo e voltei, voltei para mim....,ElianeDe Lacerda
    Amiga, respondi com uma parte de um poema meu!
    bom domingo,querida
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, escreve muito bem!!! As vezes acho que vemos o mundo por meio de janelas, as vezes embaçada, as vezes fechada, suja e ate mesmo escura, mas acho que a melhor forma mesmo de ver o mundo é através da janela da alma!!!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, profundo! Gostei muito, você escreve muito bem, tá de parabéns. Um grande beijo!!!

    www.r-nuvens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não tinha parado para pensar na janela como algo assim, mas de fato elas estão por todo lugar. Adorei o poema.

    Beijos.
    Realidades Utópicas

    ResponderExcluir
  6. Que lindo <3 Adorei o texto!!!

    Beijos e fique com Deus,
    Quero Sonhar

    ResponderExcluir
  7. Pena que ninguém possa ver ou entender, as janelas dizem muito de cada um de nós. Belíssimo.
    bjs.

    ResponderExcluir

Olá queridos! Não se esqueçam de deixar o link do seu blog para que eu posso lhe visitar também!
Obrigada por acessar o Identidade Aleatória!